Pombos & Doenças

Sobre os Pombos

O pombo-doméstico, Columba livia, não é ave nativa brasileira. É originário da Europa, tendo sido trazido para nosso país já domesticado. Soltos, permanecem próximos das habitações humanas, onde podem causar problemas econômicos, de saúde e estéticos, necessitando de medidas de controle.

Há pombos demais na cidade, sabe por quê?

  1. Comida em abundância: Os pombos comem qualquer tipo de alimento, principalmente aqueles oferecidos pelas pessoas.
  2. Sem inimigos naturais: Não têm inimigos naturais, como por exemplo, gaviões.
  3. Abrigo: Pombos fazem seus ninhos em telhados de casas, torres de igrejas, prédios, beirais de janelas, parques, enfim, há lugares de sobra para os pombos se alojarem.

Como evitar doenças e alergias causadas pelos pombos:

  • Molhe as fezes secas antes de fazer a limpeza no local.
  • Proteja o nariz e a boca com lenços ou panos úmidos.
  • Mantenha os alimentos sempre bem tampados.

Doenças

Salmonelose – Doenças causadas por bactéria

Agente etiológico : Salmonella sp

A Doença no Homem

Os sintomas mais evidentes no homem são febre súbita, dor de cabeça, náuseas e vômitos. São observadas com frequência dores abdominais intensas e diarreia. Este tipo de infecção não é grave no adulto, mas pode, em determinados casos, apresentar riscos maiores em crianças e idosos. De modo geral, entretanto, o homem não é muito sensível à salmonelose transmitida pelos pombos.

A doença no Animal

Nos pombos, a doença pode provocar elevada mortalidade, principalmente nas aves jovens. As mais velhas, quando contaminadas, quase não manifestam a doença, sendo no entanto transmissoras da bactéria durante determinado período. Nos animais contaminados a salmonelose provoca lesões nas articulações ( com deformação nas juntas), diarreia (com dejetos moles e cor verde castanho), inflamação do sistema nervoso ( com problema de equilíbrio) e torção do pescoço.

Transmissão

Os dejetos expelidos pelos pombos contaminam diretamente o meio ambiente, a água e os alimentos. As fezes ressecadas podem ainda ser espalhadas pelo vento, contaminando objetos e pessoas.

Medidas preventivas e controle

Desinfetar os pombais regularmente, cuidando para que não se introduzam, na colônia, pássaros de outros locais sem antes passarem por um período de isolamento.
Eliminar as aves doentes e, se for o caso, tratar a colônia contaminada com antibiótico.
Não permitir, na cidade, concentração excessivas de pombos ao ar livre.

Outros animais transmissores

Cão, gato, rato , boi , aves, mosca, barata etc.

Ornitose – Doença causada por clamídia

Agente etiológico: Chlamydia psittaci

A doença no Homem

Os sintomas são poucos evidentes, manifestam-se sob a forma de gripe e febre de 1 a 2 semanas.

A doença no animal

Principia com secreção na região do bico e inflamação purulenta nos olhos. Com as narinas obstruídas, as aves respiram com o bicho aberto. A doença progride para bronquite, fazendo com que a respiração se torne ruídosa, atingindo posteriormente o fígado e o baço. Os animais debilitados e filhotes são os que mais correm o risco de morrer. A doença não produz imunidade duradora, podendo voltar a manifestar-se. Outras aves podem se tornar portadoras sadias da doença, contaminando as demais.

Transmissão

A doença é transmitida ao se inalar ar que contenha gotas de secreção de aves doentes.

Medidas preventivas e controle

  • Manter a adequada higiene do pombal, desinfetando regularmente as instalações.
  • Evitar a formação de colônias excessivamente numerosas.
  • Evitar, na medida do possível, entrar em contato com as secreções de pombos doentes.
  • Isolar as aves doentes.
  • Fazer higiene corporal após manipular os pombos.
  • Tratar preventivamente, com antibióticos, as criações desses animais.

Outros animais transmissores

Numerosas espécies de aves.

Criptococose – Doença causada por fungo

Agente etiológico: Cryptococcus neoformans

A doença no homem

O fungo atinge principalmente o cérebro, gerando meningoencefalite. Provoca, também , lesões no pulmão e pode se localizar em diversos órgãos do corpo, como os rins, fígado, ossos e pele. A doença é de progressão lenta e às vezes fatal. No entanto, os casos são raros.

A doença no Animal

criptococose não ocorre nos pombos, mas o fungo causador da mesma desenvolve-se particularmente bem nos dejetos dessas aves, encontrados no solo ou nos pombais.

Transmissão

Presumivelmente, o homem se contamina ao inalar poeira que contenha partícula ressecadas de fezes com o fungo.

Medida preventivas e controle

Umedecer, de preferencia com solução desinfetante, os locais contaminados por fezes de pombos, antes de efetuar qualquer tipo de limpeza em pombais, ninhos, monumentos, prédios ou outro locais.
Controlar a população de pombos, evitando a formação de colônias livre e muito numerosas.

Outros animais transmissores

Não existe, até o momento, registro de transmissão direta dessa doença entre os animais e ou entre os animais e o homem.

  • Outra zoonoses transmissíveis pelos pombos.
  • Toxoplasmose – doença causada por protozoário
  • Histoplasmose – doença causada por fungos
  • Encefalite letárgica – doença causada por vírus
  • Psitacose – doença causada por riquétsia
Outras doenças

A poeira dos ninhos e das fezes secas pode causar doenças como:

  • Ornitose: infecção pulmonar
  • Histoplasmose: infecção pulmonar
  • Criptococose: inflamação no cérebro – meninges
  • Salmonelose: infecção intestinal causada por alimentos contaminados
  • Alergias: os piolhos e as penas, além de incomodarem, causam sérias alergias